Traduções Crédulas: Perseverança dos Santos (12 de 13) – Conclusão

Padrão

Perseverança dos Santos

Textos-Prova – Conclusão

Nesta série examinamos as passagens primárias que ensinam a possibilidade de apostasia e vimos que o entendimento arminiano de perseverança melhor harmoniza com os ensinos de tais passagens. Existem muitas outras que podem ser chamadas na tarefa de apoiar a posição arminiana mas limitamos este estudo àquelas passagens que falam mais claramente do assunto. Temos analisado também as passagens primárias que são mais comumente apeladas em apoio à segurança incondicional e encontramos que elas não contradizem a visão arminiana da perseverança condicional. parece seguro (e necessário) concluir então que a visão arminiana de perseverança é a visão que melhor harmoniza-se com os dados bíblicos e é portanto a visão bíblica.

No nosso próximo e último post desta série argumentaremos que a visão arminiana dá os melhores fundamentos para a segurança bíblica também, apesar das alegações contrárias daqueles que adotam a perseverança inevitável.

Traduções Crédulas: Perseverança dos Santos (12 de 13) – Romanos 8:28-30

Padrão

Romanos 8:28-30

[28] E sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
[29] Porque os que previamente conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.
[30] E aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou.

Continuar lendo

Traduções Crédulas: Perseverança dos Santos (12 de 13) – Efésios 1:13-14, 4:30

Padrão

Efésios 1:13-14, 4:30

{1}[13]no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa,
{1}[14]o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória.
{4}[30]E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual sois selados para o dia da redenção.

Continuar lendo

Traduções Crédulas: Perseverança dos Santos (12 de 13) – Romanos 6:23, 11:29

Padrão

Romanos 6:23, 11:29

{06}[23] Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.
{11}[29] Porque os dons e a vocação de Deus são irretratáveis.

Muitos veem aqui uma forte assertiva de segurança incondicional baseado no fato que “os dons e o chamado são irrevogáveis” (NAS), e essa vida eterna é um dom (Rm 6:23, Ef 2:8,9), portanto, pensam eles, vida eterna deve ser irrevogável. Deus é sempre fiel às Suas promessas (tanto as prazerosas quanto as terríveis, e.g Js 23:15-16), mas suas promessas não são sem condições. O dom divino da salvação é irrevogável enquanto a condição é cumprida. Paulo estava falando da restauração final de Israel em Rm 11:29, mas ele não estava dando segurança alguma aos ramos que foram quebrados em descrença (verso 20), e severamente alertou aqueles que agora permanecem na fé, os quais podem ainda ser arrancados mediante a incredulidade (versos 20-21). O dom divino (da vida) é sempre somente para crentes! Deus não revoga seu dom, porque ele não existe à parte de Cristo. Apenas crentes estão “em Jesus Cristo nosso Senhor” (Rm 6:23). Se falharmos em cumprir a condiçaõ de união a Cristo,não podemos ter nenhuma alegação ao dom (veja Jo 3:16 e Jo 10:27-29 já discutidos).