Traduções Crédulas: Cinco Questões sobre Predestinação – Questão No. 2: Quem?

Padrão

Cinco Questões sobre Predestinação
Questão No. 2: Quem?
[(Excerto de Erros Calvinistas)]

por Christopher Chapman
Tradução: Credulo from this WordPress Blog

Quem?

Questão No. 2: Quem Deus predestina?

Resposta: A Igreja de Jesus Cristo

A questão de quando Deus predestina não está em disputa entre calvinistas e outros cristãos, mas a questão de quem Deus predestina sim. Devido à sua interpretação ruim de certas passagens da escritura, calvinistas concluíram que Deus, antes da criação do mundo, predestinou certos indivíduos a serem salvos. Mas esta é uma leitura ruim e uma distorção do eterno propósito de Deus.

As implicações deste erro são claras. Se Deus já decidiu que indivíduos ele salvará, e sua eterna vontade é imutável e irresistível, então o destino eterno de todos está selado antes mesmo de nascer. Isto são boas notícias para aqueles sortudos o bastante para serem escolhidos e notícias esmagadoras para aqueles que não foram. Mas graças a Deus isto está errado! Deus não determinou de antemão quais indivíduos seriam salvos e quais seriam danados. Em vez disso, “… para isto é que trabalhamos e lutamos, porque temos posto a nossa esperança no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, especialmente dos que creem” {1Tm 4:10 AR}. Jesus veio para experimentar a morte por todos (Hb 2:9). E ele comanda que seus discípulos contassem a todos as Boas Novas (Mc 16:15-16). A verdade é que Deus não quer que ninguém se perca, senão que todos cheguem ao arrependimento (2Pe 3:9).

Ainda que Deus não tenha predeterminado que indivíduos ele salvaria, a Bíblia ensina que Deus determinou de antemão que ele iria salvar pessoas. Salvação em Cristo não é uma ideia adicional ou um plano B. O erro do calvinismo não é que eles creem que Deus predestinou salvar pessoas, mas que eles creem que Deus predestinou salvar pessoas, mas que eles creem que Deus predestinou a salvação de indivíduos em particular. Quando a Bíblia ensina sobre Deus determinando de antemão quem será salvo, ela não está se referindo a pessoas em particular, mas a um povo em particular. Deus determinou salvar um povo para si mesmo. Pedro escreve sobre a Igreja de Jesus Cristo, “Mas vós sois uma geração eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo peculiar, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” {1Pe 2:9 AR}.

Para entender como Deus escolheu a Igreja no Novo Testamento precisamos observar como ele escolheu a nação de Israel no Antigo Testamento. Em Gênesis capítulo doze Deus escolheu Abraão para ser o pai de uma nação. Deus escolheu um homem e prometeu a ele que seus descendentes seriam o santo povo de Deus. Em Dt 7:6 Moisés fala a Israel que Deus os escolheu para serem seu povo. “Porque tu és povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, a fim de lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a terra”. Mas o povo de Israel não foi escolhido como possessão especial de Deus quando Deus enviou Moisés ao Egito. Eles foram escolhidos séculos depois (i.e. predestinados) em Gênesis capítulo doze. Deus escolheu-os porque eles eram do povo de Abraão. Deus os escolheu em Abraão (i.e. mediante Abraão, pelo seu bem, por causa de Abraão). Deuteronômio 7:8 deixa isto claro. Moisés explanou, “Senhor vos amou, e porque quis guardar o juramento que fizera a vossos pais”. Eles foram escolhidos não por eles mesmos mas por causa da promessa que Deus fez a Abraão e depois confirmou em Isaque e Jacó. Novamente, Paulo deixa claro em Romanos 11:28 que eles foram amados pelo bem de seus pais, não por si mesmos. A nação de Israel foi escolhida quando Deus prometeu a Abraão que ele criaria uma grande nação a partir dos descendentes de Abraão. Então vemos que Deus predestinou criar uma nação especial para si mesmo.

Deus escolheu um homem, Abraão. Mediante ele (i.e. para seu bem, por causa dele, nele) seu povo também foi escolhido. Eles não foram escolhidos individualmente, mas como um grupo. A escritura não nos ensina que Deus predestinou que indivíduos nasceriam judeus. Em vez disso ensina que aqueles que são nascidos judeus, aqueles que preenchem o requerimento racial, herdariam a terra da Palestina. Então a eleição de indivíduos (i.e. situação de escolhidos) foi fundamentada em sua conexão legítima com a nação eleita, a saber, Israel. E a eleição da nação foi fundamentada com seu relacionamento com o escolhido, a saber, Abraão.

No Novo Testamento Deus segue o mesmo padrão que ele seguiu no Antigo Testamento. Primeiro ele escolhe um homem. Cristo foi “na verdade, foi conhecido (i.e. amado, escolhido) ainda antes da fundação do mundo, mas manifesto no fim dos tempos por amor de vós”
{1Pe 1:20 AR}. Cristo é “pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa” {1Pe 2:4 AR}. Cristo é O Escolhido. Mas diferente de Abraão, que foi escolhido somente depois do dilúvio de Noé, Cristo foi escolhido antes da criação do mundo.

E bem como ele fez com Abraão na primeira aliança, Deus escolheu Cristo para o propósito de fazer uma santa nação para ele. Quando Deus escolheu Seu filho antes do mundo começar, ele também escolheu aqueles que, em devido tempo, têm uma legítima conexão com ele. Ele não apenas escolheu Cristo, mas ele escolheu uma nação em Cristo. “Mas vós sois uma geração eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo peculiar, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”{1Pe 2:9 AR}. Deus escolheu a Igreja de Cristo para ser sua possessão especial, sua santa nação. Ele os escolheu pelo bem do Escolhido. Efésios 1:4 afirma, Deus nos escolheu (o Corpo de Cristo corporativo) nele (mediante ele, por causa dele) antes da fundação do mundo (ao mesmo tempo que ele escolheu Cristo).

Então, Deus escolheu um homem, Cristo Jesus. Mediante ele (i.e. pelo seu bem, nele, por causa dele) seu povo também foi escolhido. Eles não foram escolhidos individualmente, mas como um grupo. A escritura não nos ensina que Deus predestinou quais indivíduos seriam cristãos nascidos de novo. Em vez disso ela ensina que aqueles que são nascidos de novo, aqueles que preenchem o requisito espiritual, herdarão o reino de Deus. Antes do mundo ser feito, Deus determinou formar o corpo de Cristo. Então a eleição neo-testamentária do indivíduo (i.e. a situação de escolhido) é fundada em sua legítima conexão com o povo escolhido, a saber, a Igreja de Jesus Cristo. E a eleição da “nação santa” é fundada em seu relacionamento com o Escolhido, a saber, Cristo.

É verdade que antes do mundo começar Deus predestinou salvar pessoas. Mas esta eleição (i.e. escolha) de pessoas não foi individual, mas corporativa (i.e. como um grupo). Ele não selecionou manualmente pessoas para a vida eterna, mas ele determinou de antemão que ele escolheria um grupo particular de pessoas pertencentes a ele. Quando a Bíblia fala sobre predestinar pessoas para vida eterna, não fala de indivíduos em particular, mas de um grupo de pessoas em particular. Deus nos escolheu corporativamente, não individualmente. A coisa importante para cada um de nós, é assegurar que somos parte de um “nós” corporativo que é referenciado em Efésios 1:4. Exatamente quem desfruta dos privilégios do eterno propósito de Deus para a Igreja depende se se pertence ou não a Cristo.

Cristo foi escolhido antes do começo do mundo, bem como Abraão foi escolhido nos dias após o dilúvio. E Deus determinou de antemão escolher um povo em Cristo bem como ele predestinou escolher os descendentes de Abraão. Deus predestinou salvar um povo para sua própria possessão. Deus não predestinou indivíduos para se tornar membros do corpo predestinado de Cristo, mas ele predestinou a Igreja de Jesus Cristo para experimentar salvação eterna.

Anúncios

4 comentários sobre “Traduções Crédulas: Cinco Questões sobre Predestinação – Questão No. 2: Quem?

  1. Pingback: Traduções Crédulas: Predestinação por Christopher Chapman (INDEX) | credulo

  2. Não entendi muita coisa… ou não entendi nada. Uma nação não é formada por um grupo de pessoas, cada uma um indivíduo em particular? Enfim, cada indivíduo não é salvo individualmente para fazer parte do todo? Como é isso de todo mundo ser salvo assim “de galera”?

    • A coisa é feita de camadas, digamos assim.
      Primeiro, Deus elegeu o cabeça, Cristo. Segundo, Deus inclui nesta eleição o Corpo de Cristo (composto de todos os crentes fiéis perseverantes em todos os tempos) – e não apenas o Cabeça separado do resto do Corpo.

      Você não é eleito por si mesmo, mas mediante Cristo. Você é eleito porque é parte do Corpo Eleito. Sacou? É, é um tanto complicadinho, mas basta lembrar da alegoria da videira. Jesus é a videira, e os ramos ‘somos nozes’. Nós somos enxertados na Videira Eleita, mediante fé, e compartilhamos da eleição e das benesses desta videira.

      Que a nação é formada de indivíduos, ninguém nega. O lance é que a identidade como nação é maior que a identidade individual. Antes de você ser Ismael, você é do corpo de Cristo. Comprende? Era assim que Paulo podia dizer ‘não mais vivo eu mas Cristo vive em mim’. Paulo não era nada, mas Cristo sim.

      Da mesma forma que os judeus eram judeus por serem descendência de Abraão, Isaque, Jacó, os Doze das Tribos, os cristãos são cristãos por serem parte do corpo de Cristo. A unidade é maior que as partes neste panorama.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s