O Que É o “Dia do Senhor”? por Tektonics

Padrão

Um texto curto, sobre as ocorrências da expressão “Dia do Senhor” na Bíblia, e sobre o que ela significa nestas passagens.

O Que É o Dia do Senhor?

por JPH on Tektonics
Tradução: Credulo on Futuro no Pretérito
Fonte: http://www.tektonics.org/esch/dayofl.html

O NT diversas vezes se refere ao “dia” de Cristo no contexto de um julgamento iminente. A fim de entender como este termo é usado no NT, é necessário observar como um precursor AT da frase é usada.

A expressão “O Dia do Senhor” (DDS) ocorre 26 vezes no AT, sempre em literatura profética. Seis delas se referem a um “dia do Senhor…” X, mas nem todas elas se referem a um evento futuro. Começaremos, no AT, com Isaías:

Pois o Senhor dos exércitos tem um dia contra todo soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que seja abatido;{Isaías 2:12 Almeida Recebida}

O primeiro exemplo de DDS ocorre no contexto de um oráculo que prediz no “último” dos dias futuros um tempo em que “todas as nações” concorrerão para a casa do Senhor (2:2) e será o fim de toda guerra (2:4) e os homens altivos serão humilhados (2:11-17) ou tentarão se esconder do julgamento de Deus (2:19ff). Este uso claramente indica uma figura de julgamento final.

[6] Uivai, porque o dia do Senhor está perto; virá do Todo-Poderoso como assolação.
[7] Pelo que todas as mãos se debilitarão, e se derreterá o coração de todos os homens.
[8] E ficarão desanimados; e deles se apoderarão dores e ais; e se angustiarão, como a mulher que está de parto; olharão atônitos uns para os outros; os seus rostos serão rostos flamejantes.
[9] Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente; para pôr a terra em assolação e para destruir do meio dela os seus pecadores.{Isaías 13:6-9 Almeida Recebida}

Desta vez, porém, o DDS é um julgamento dirigido exclusivamente contra Babilônia. Babilônia é abordada diretamente (13:1,9) e os medos são ditos serem instrumentos da destruição da Babilônia (13:37). Para referência, tome nota de como este singular julgamento é descrito:

[10] Pois as estrelas do céu e as suas constelações não deixarão brilhar a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não fará resplandecer a sua luz.
[11] E visitarei sobre o mundo a sua maldade, e sobre os ímpios a sua iniquidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos cruéis.
[12] Farei que os homens sejam mais raros do que o ouro puro, sim mais raros do que o ouro fino de Ofir.
[13] Pelo que farei estremecer o céu, e a terra se movera do seu lugar, por causa do furor do Senhor dos exércitos, e por causa do dia da sua ardente ira.{Isaías 13:10-13 Almeida Recebida}

É fácil ver um paralelo com os pronunciamentos de Jesus sobre Jerusalém. Mais de tal linguagem é encontrada na última referência de Isaías:

[4] E todo o exército dos céus se dissolverá, e o céu se enrolará como um livro; e todo o seu exército desvanecerá, como desvanece a folha da vide e da figueira.
[8] Pois o Senhor tem um dia de vingança, um ano de retribuições pela causa de Sião.
[9] E os ribeiros de Edom transformar-se-ão em pez, e o seu solo em enxofre, e a sua terra tornar-se-á em pez ardente.
[10] Nem de noite nem de dia se apagará; para sempre a sua fumaça subirá; de geração em geração será assolada; pelos séculos dos séculos ninguém passará por ela.{Isaías 34:4,8-10 Almeida Recebida}

Isaías 34 é um oráculo de julgamento contra Edom. Note aqui que o dia do Senhor é equiparado com um ano de retribuição, indicando portanto que o dia  do Senhor não está associado a um período simples de 24 horas. (Stuart nota que a frase provavelmente se originou na concepção médio-oriental de uma guerra ideal que poderia derrotar os inimigos em um dia; comentário Oseias-Jonas, 231.)

Porque aquele dia é o dia do Senhor Deus dos exércitos, dia de vingança para ele se vingar dos seus adversários. A espada devorará, e se fartará, e se embriagará com o sangue deles; pois o Senhor Deus dos exércitos tem um sacrifício na terra do Norte junto ao rio Eufrates.{Jeremias 46:10 Almeida Recebida}

O oráculo desta vez é um alerta para o Egito (46:2) e para o Faraó dos dias de Jeremias. Jeremias usou também essa frase em Lamentações:

Convocaste de toda a parte os meus terrores, como no dia de assembleia solene; não houve no dia da ira do Senhor quem escapasse ou ficasse; aqueles que eu trouxe nas mãos e criei, o meu inimigo os consumiu. {Lamentações 2:22 Almeida Recebida}

Neste caso o DDS é usado para se referir a um tempo passado de julgamento, desta vez sobre Jerusalém.

Próximo: Ezequiel

Não subistes às brechas, nem fizestes uma cerca para a casa de Israel, para que permaneça firme na peleja no dia do Senhor.{Ezequiel 13:5 Almeida Recebida}

Este alerta é feito para os profetas de Israel (13:1) e é uma admonição contra eles por serem falsos profetas (13:6-7). Estes profetas predisseram paz a Jerusalém (13:16). A referência ao DDS é mais provavelmente aqui para o iminente ataque babilônico a Jerusalém.

Porque perto está o dia, sim, perto está o dia do Senhor; dia de nuvens será, o tempo das nações.{Ezequiel 30:3 Almeida Recebida}

O oráculo desta vez é contra o Egito, e Babilônia será aqui o mecanismo de julgamento (30:10).

As próximas cinco referências são do livro de Joel.

[1][15] Ai do dia! Pois o dia do senhor está perto, e vem como assolação da parte do Todo-Poderoso.
[2][1] Tocai a trombeta em Sião, e dai o alarma no meu santo monte. Tremam todos os moradores da terra, porque vem vindo o dia do Senhor; já está perto;
[2][11] E o Senhor levanta a sua voz diante do seu exército, porque muito grande é o seu arraial; e poderoso é quem executa a sua ordem; pois o dia do Senhor é grande e muito terrível, e quem o poderá suportar?
[2][31] O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor.
[3][14] Multidões, multidões no vale da decisão! Porque o dia do Senhor está perto, no vale da decisão.{Joel 1:15,2:1,2:11,2:31,3:14 Almeida Recebida}

Dada a dificuldade de saber quando Joel foi escrito, não é possível dizer em todos os casos quem era o “inimigo”. É suficiente dizer que as três primeiras referências são para um iminente julgamento contra os judeus.

As três próximas referências do DDS são de Amós, que provavelmente foi o primeiro dos profetas a usar cronologicamente a expressão.

[18] Ai de vós que desejais o dia do Senhor! De que vos servirá? O dia do Senhor é trevas e não luz.
[19] Como se um homem fugisse de diante do leão, e se encontrasse com ele um urso; ou como se, entrando em casa, encostasse a mão à parede, e o mordesse uma cobra.
[20] Não será, pois, o dia do Senhor trevas e não luz? Não será completa escuridão, sem nenhum resplendor?{Amós 5:18-20 Almeida Recebida}

Amós 5-6 é um oráculo profético contra o reino do norte de Israel.

O pequeno Obadias faz o próximo uso da expressão:

[15]Porquanto o dia do Senhor está perto, sobre todas as nações, como tu fizeste, assim se fará contigo; o teu feito tornará sobre a tua cabeça.{Obadias 1:15 Almeida Recebida}

O oráculo de Obadias é sobre Edom, e é claro que Obadias espera que o DDS afete Edom.

Agora Sofonias faz sua vez:

[1][8] E no dia do sacrifício do Senhor castigarei os oficiais, e os filhos do rei, e todos os que se vestem de trajes estrangeiros.
[1][14] O grande dia do Senhor está perto; sim, está perto, e se apressa muito; ei-la, amarga é a voz do dia do Senhor; clama ali o homem poderoso.
[1][18] Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do Senhor; mas pelo fogo do seu zelo será devorada toda a terra; porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada.
[2][1] Congregai-vos, sim, congregai-vos, ó nação sem pudor;
[2][2] antes que o decreto produza efeito, e o dia passe como a pragana; antes que venha sobre vós o furor da ira do Senhor, sim, antes que venha sobre vós o dia da ira do Senhor.
[2][3] Buscai ao Senhor, vós todos os mansos da terra, que tendes posto por obra o seu juízo; buscai a justiça, buscai a mansidão; porventura sereis escondidos no dia da ira do Senhor.{Sofonias 1:8,14,18-2:3 Almeida Recebida}

Estes oráculos são contra Jerusalém e Judá (1:14). Novamente é interessante notar o simbolismo usado:

[15] Aquele dia é dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas,
[16] dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas.
[17] E angustiarei os homens, e eles andarão como cegos, porque pecaram contra o Senhor; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne como esterco.{Sofonias 1:15-17 Almeida Recebida}

Agora Zacarias tem algum uso para a expressão:

[14][1] Eis que vem um dia do Senhor, em que os teus despojos se repartirão no meio de ti.{Zacarias 14:1 Almeida Recebida}

Pela primeira vez desde Isaías, o DDS pode aqui ser usado como uma expressão refletindo o julgamento final. O Senhor é rei sobre toda a terra (14:9) e as nações todas virão para observar a Festa dos Tabernáculos (14:16). Outros preteristas, porém, veem isso como uma referência a 70 AD e creem que estamos agora no lugar onde o Senhor é rei sobre a terra e observamos a festa na “Jerusalém celestial”. Eu tendo a concordar com este último.

Finalmente, Malaquias usa a expressão:

Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor;{Malaquias 4:5 Almeida Recebida}

É claro que os exegetas cristãos veem isso como uma profecia de João o Batista. Não obstante esta interpretação, este oráculo fala:

[1] Pois eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como restolho; e o dia que está para vir os abrasará, diz o Senhor dos exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo.
[2] Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo cura nas suas asas; e vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.
[3] E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés naquele dia que prepararei, diz o Senhor dos exércitos.{Malaquias 4:1-3 Almeida Recebida}

A que remete este DDS? Este DDS refere-se aqui à destruição de Jerusalém em 70 AD.

Conclusão: “O Dia do Senhor” é uma frase geral de julgamento que pode descrever o julgamento final escatológico do mundo, mas mais comumente descreve qualquer dia de julgamento vindouro. Que “dia” está em mente é determinado pelo contexto, não meramente pela frase em si mesma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s