Traduções Crédulas: Atos 13:48 – Um Verso Calvinista? (Parte III de IV)

Padrão

Continuando a série, Chris Chapman faz um sumário do que exatamente trata o livro de Atos, para daí dar uma luz teológica ao livro e em especial ao verso acima.

Atos 13:48 – Um Verso Calvinista? (Parte III de IV)

por Christopher Chapman
Tradução: Credulo from this WordPress Blog

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.{Atos 1:8 Almeida Recebida}

Neste verso Lucas nos dá um esboço do livro de Atos. O livro não é uma história geral da antiga igreja, mas um relato sobre a expansão do Evangelho ao mundo gentílico. Ela começou com o Evangelho sendo publicamente proclamado para uma grande multidão de judeus e convertidos ao judaísmo no dia de Pentecostes. Deste povo, um remanescente (3.000 pessoas) da multidão vieram à fé em Cristo. No capítulo oito o Evangelho havia se espalhado em Samaria e mais uma vez multidões ouviram, e responderam, à proclamação pública da palavra de Deus. Este relato é o equivalente samaritano do que ocorreu com os judeus em Atos 2.

No próximo capítulo Lucas começa a definir o cenário para o pentecoste gentílico. No capítulo 9 Lucas nos fala da conversão de Saulo de Tarso e sua chamada divina para ser apóstolo dos gentios. Então, no capítulo 10, Pedro é enviado para uma família gentílica onde ele compartilha as boas novas num ambiente privado. Esta é apenas uma amostra do que ocorreria um par de capítulos depois, no capítulo que estamos considerando.

Capítulo 13 é o clímax da narrativa de Lucas. Não é só mais uma história no livro. É um capítulo chave recheado de grande significado; é o Pentecoste gentílico. Não é somente o primeiro relato que Lucas nos dá de uma proclamação pública do Evangelho para uma multidão primariamente gentílica, mas vemos também uma mudança de foco. Deste ponto na narrativa de Lucas, os gentios, não os judeus, serão os beneficiários primários do ministério apostólico. O ponto do capítulo 13 é mais claramente visto nos versos 46-47.

[46]Então Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram: Era mister que a vós se pregasse em primeiro lugar a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais, e não vos julgais dignos da vida eterna, eis que nos viramos para os gentios;
[47]porque assim nos ordenou o Senhor: Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra.{Atos 13:46-47 Almeida Recebida}

A rejeição do Evangelho pelos judeus abriu a porta para os gentios. Paulo cita Isaías para mostrar que este não foi um plano formulado recentemente, mas esteve na mente de Deus por um longo tempo. Paulo escreveu sobre este plano em Efésios.

[4]pelo que, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,
[5]o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos dos homens, como se revelou agora aos seus santos apóstolos e profetas pelo Espírito,
[6]a saber, que os gentios são co-herdeiros e membros do mesmo corpo e participantes de sua promessa em Cristo por meio do evangelho;{Efésios 3:4-6 Almeida Recebida}

Sempre foi o plano de Deus trazer salvação até os confins da terra (At 1:8, 13:47). E é neste capítulo que começamos a ver os primeiros frutos reais deste plano. Este capítulo está recheado com o eterno propósito. E Lucas está tentando deixar este ponto claro. Ele quer que saibamos que este não foi um acidente na história. Isto foi realizado de acordo com o determinado conselho e presciência de Deus (At 2:23). Deus sabia de antemão aqueles que creriam, e ele sempre planejou dá-los uma herança eterna. E agora, em Atos 13:48, seu eterno plano começou a se desenrolar, dado que alguns daqueles gentios que foram apontados para a vida eterna de acordo com a presciência de Deus, vieram à fé quando ouviram o Evangelho proclamado por Paulo. Foi aqui que o plano de Deus de formar um povo feito de crentes judeus e gentios começou a manifestar-se na história (Ef 2:11-22). Jesus não somente veio para dar arrependimento a Israel (At 5:31), mas aos gentios Deus também concedeu arrependimento para vida (At 11:18).

Lucas quis fazer um contraste bem claro entre a rejeição do Evangelho pelos judeus e a recepção dos gentios entre o povo escolhido de Deus. Ele quis que todo mundo soubesse que aos judeus foi dada toda oportunidade para a promessa de vida em Jesus Cristo, mas rejeitaram-na e não se julgavam dignos da vida eterna (At 13:46). E os gentios que creram não entraram no Reino por acidente mas foram destinados à vida eterna (At 13:48). Ele quis enfatizar que Deus sabia de antemão que a maioria dos judeus rejeitaria o Evangelho e que aqueles gentios em particular, incluindo os indivíduos presentes naquele dia, creriam nas boas novas de Deus (At 7:51, Rm 8:28-29). E Lucas quis deixar claro que Deus, em sua infinita sabedoria, causou tudo isso para cumprir seu definitivo plano (Ef 1:11-13). Em Efésios capítulo um somos informados que não são descrentes que foram eleitos antes da fundação do mundo para serem adotados como filhos de Deus, mas os crentes (Ef 1:1, 1:4-5, 1:13). E aqui em Atos 13 vemos este plano começando a tomar forma na história.

Para esclarecer que este é de fato o sentido global da passagem que estamos considerando devemos olhar para as duas passagens paralelas no livro de Atos.

[5] Quando Silas e Timóteo desceram da Macedônia, Paulo dedicou-se inteiramente à palavra, testificando aos judeus que Jesus era o Cristo.
[6] Como estes, porém, se opusessem e proferissem injúrias, sacudiu ele as vestes e disse-lhes: O vosso sangue seja sobre a vossa cabeça; eu estou limpo, e desde agora vou para os gentios.
[7] E saindo dali, entrou em casa de um homem temente a Deus, chamado Tito Justo, cuja casa ficava junto da sinagoga.
[8] Crispo, chefe da sinagoga, creu no Senhor com toda a sua casa; e muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados.
[9] E de noite disse o Senhor em visão a Paulo: Não temas, mas fala e não te cales;
[10] porque eu estou contigo e ninguém te acometerá para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade.
[11] E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus.{Atos 18:5-11 Almeida Recebida}

Esta passagem tem diversos paralelos com o capítulo 13. Vemos Paulo falando aos judeus, sendo rejeitado e então voltando seu foco para os gentios e sendo recebido. Em particular vemos Paulo mais uma vez colocando a responsabilidade pela rejeição do Evangelho sobre os ombros daqueles que escolheram resistir à palavra de Deus. E apenas aqueles dedicados a certas doutinas não-bíblicas negariam que os homens são responsáveis somente quando são “capazes de responder”. A razão pela qual os judeus foram culpados de rejeitar o Evangelho é porque eles poderiam ter recebido o Evangelho se tivessem escolhido se humilhar a si mesmos diante de Deus. Como está escrito, “Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes.”{Tg 4:6 AR}

Vemos também que Atos 18 traz o tema da eleição individual quando o Senhor fala a Paulo, “Tenho muito povo nessa cidade”. Paulo estava certo de que seu ministério contínuo em Corinto não seria estéril. Deus que  conhece os corações, e sabe de antemão as ações do homem, sabia que havia muitos naquela região que creriam nas boas novas de Jesus Cristo.

[23] Havendo-lhe eles marcado um dia, muitos foram ter com ele à sua morada, aos quais desde a manhã até a noite explicava com bom testemunho o reino de Deus e procurava persuadi-los acerca de Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas.
[24] Uns criam nas suas palavras, mas outros as rejeitavam.
[25] E estando discordes entre si, retiraram-se, havendo Paulo dito esta palavra: Bem falou o Espírito Santo aos vossos pais pelo profeta Isaías,
[26] dizendo: Vai a este povo e dize: Ouvindo, ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; e vendo, vereis, e de maneira nenhuma percebereis.
[27] Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardiamente, e fecharam os olhos; para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração nem se convertam e eu os cure.
[28] Seja-vos pois notório que esta salvação de Deus é enviada aos gentios, e eles ouvirão.{Atos 28:23-28 Almeida Recebida}

Temos aqui, na conclusão do livro de Lucas, o mesmo tema que vimos em Atos 13 e 18. E de fato é o mesmo tema que Atos 1:8 nos falava o que Lucas iria discutir. O Evangelho começo com os judeus em Jerusalém, se espalhou para os samaritanos e em Atos 13 alcançou os gentios. Deste ponto vemos Paulo consistentemente rejeitado pelos judeus e voltando-se para os gentios de acordo com o chamado que ele recebera do Senhor Jesus.

Aqui em Atos 28 o vemos usando as Escrituras proféticas para demonstrar que Deus já conhecia de antemão que os judeus em grande parte rejeitariam o Evangelho. E o vemos reiterando o fato que Deus conhecia de antemão que os gentios seriam mais abertos à mensagem que a nação de Israel.

Minha interpretação de Atos 13:48:

“… e creram, todos quanto haviam sido destinados para a vida eterna [de acordo com a presciência de Deus]”

Neste ponto meus irmãos calvinistas me acusarão de ler em cima do texto. Não negarei a acusação. Mas apontarei que mantendo em mente o conceito de presciência divina exaustiva o verso coaduna muito bem com o contexto. Ela não tira nada do ensinamento bíblico da genuína responsabilidade que é afirmada ao longo da escritura, incluindo Atos 13:46. Isto também flui bem com o verso 27 que nos lembra que a salvação dos gentios não foi um acidente, mas foi de acordo com o conselho e presciência de Deus (At 2:23). Deus planejou salvar os gentios mediante fé, e ele fez este plano em conjunção com sua presciência das ações e decisões humanas futuras (Gl 3:8, Rm 8:28-29). Lucas usara um ponto teológico para nos dar uma completa apreciação da significância dos eventos históricos que ele está relatando.

Se isto ainda não me livrar da culpa de ler em cima do texto, deixe-me somente virar a mesa olhando a interpretação calvinista do verso. Fazendo isso, ficará claro que apesar de o arminiano permitir o ensino bíblico da presciência divina para informar sua interpretação, o calvinista traz bem mais para cima do texto. Certamente o arminiano traz uma bagagem de mão, mas o calvinista entrega um par de pacotes extras, e tem que pagar uma taxa de excesso de bagagem por isso!

“e creram, [por uma irresistível graça divina que os regenerou sem eles terem papel nenhum que seja, e portanto tornou impossível que eles permanecessem em descrença] tantos quanto haviam sido destinados para a vida eterna [de acordo com um plano unilateralmente predeterminado de Deus]”.

Anúncios

Um comentário sobre “Traduções Crédulas: Atos 13:48 – Um Verso Calvinista? (Parte III de IV)

  1. Pingback: Atos 13:48 por Christopher Chapman – INDEX | credulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s