Uma Introdução ao Preterismo, por Tektonics

Padrão

Um artigo introdutório e com algumas bases para o preterismo, além de uma pequena(?) defesa desta doutrina escatológica.

Uma Introdução ao Preterismo

Tradução: Credulo on Futuro No Pretérito
Fonte: http://www.tektonics.org/esch/pretsum.html

Um leitor interessado nos perguntou por um link para um artigo que sumarizasse algumas das principais doutrinas da posição escatológica que mantemos aqui, a qual é chamada preterismo Nem eu nem nosso companheiro tektonista Dee Dee Warren pudemos nos lembrar de algo assim, então eu decidi fazer um próprio, reunindo alguns amplos temas para aguçar o apetite pelos artigos maiores aqui. Dee Dee recentemente escreveu seu próprio sumário que acrescentamos mais abaixo.

* O que é preterismo?
Se eu tivesse que sumarizar em linguagem comum, eu definiria preterismo como a crença que algumas substanciais porções das profecias bíblicas agora tomadas como se referindo ao “Fim dos Tempos” foram na realidade cumpridas em 70 A.D., coincidindo com a destruição de Jerusalém. O ponto central da prova para nós é que tomamos os alertas de Jesus tomando lugar “nesta geração” como claramente significando que elas deveriam ocorrer nos próximos 40 anos. Tais textos temporais são uma pedra angular para o caso preterista.

* O que isto implica em termos de futuro para nós?
Isto significa, o entendimento popular do Rapto, da Tribulação de 7 anos, e a figura do Anticristo não estão no nosso futuro por necessidade. Se estão, elas estarão como um “duplo cumprimento” mas não são necessárias para o cumprimento da profecia bíblica. A posição preterista padrão mantém que tudo o que de fato resta para nosso futuro é a ressurreição final e o julgamento.

* Posição preterista padrão? E tem outras?
Sim, existe uma visão algumas vezes chamada preterismo completo (ou “preterismo consistente” pelos proponentes) que mantém que toda profecia bíblica está agora completa, incluindo aquelas que os preteristas da minha escola dizem referir à ressurreição final. Esta visão é considerada []herética por preteristas da minha escola, que são geralmente chamados “preteristas parciais” mas aqui serão chamados preteristas ortodoxos ou simplesmente preteristas.

* Então, e sobre os versos que se referem ao Rapto?
Preteristas os veem como referências à ressurreição final, que está ainda em nosso futuro.

* E os versos que se referem à Tribulação?
Preteristas entendem a Tribulação como tendo acontecido durante (mas não exaurindo) o período de sete anos completados na Guerra Judaica que durou de 66 a 73 A.D. A Tribulação não tomou os sete anos completos mas é centrada nos anos 67 a 70.

* E sobre o Anticristo, o 666?
Geralmente vemos Nero como preenchendo esta lacuna, apesar de outros terem sugerido Tito, Vespasiano e outros. Eu vejo papéis para Tito e Vespasiano, porém, no cumprimento das profecias.

* Então o que foi e o que não foi cumprido?
Preteristas afirmam que o Sermão do Monte (Olivet Discourse) foi cumprido na Guerra Judaica ou no tempo que levou a ela, bem como Daniel 9, e todo o Revelação até parte dos dois últimos capítulos. De acordo com preteristas, estamos AGORA no “milênio” de Revelação 20. Este é o que é passado, e a ressurreição final (referenciada em Jo 5, 1Co e 1Ts e 2Ts, e outras) ainda está por vir.

* Esta é algum tipo de visão estranha?
Se você considera R.C. Sproul um esquisito, suponho que sim. (Grin.) Ele é o mais proeminente proponente da visão preterista hoje em dia. Gary DeMar é menos proeminente mas escreveu bem mais sobre o assunto. Hank Hanegraaff do CRI recentemente também adotou o preterismo.

* O que pessoas como Tim LaHaye pensam do preterismo?
Do que tenho lido, eles estão bastante desinformados sobre. Muitos críticos do preterismo acabam misturando a versão ortodoxa com a herética em alguma extensão. A maioria, porém, está apenas muito presa em uma interpretação ocidental e literal demais da Bíblia. Eu descobri o preterismo como sendo bem mais consistente com uma leitura do texto que seria compreendida pelas pessoas que escreveram a Bíblia.

– JPH

__________________________________________________________________

E agora o resumo de Dee Dee, postado originalmente no TheologyWeb e agora fornecido para nós:
__________________________________________________________________

MARCAÇÃO TEMPORAL É TUDO

Certa vez observei o curso de Estudo Bíblico Indutivo Kay Arthur no qual ele ensinava que ao interpretar uma passagem devemos nos perguntar dos “3Q, 1O e 1P”. Duvido que exista alguém que discorde que perguntar ‘o que (ou a quem), quem, quando, onde e por que’ é importante. Porém, ao interpretar profecias, vejo que a maioria dos cristãos de hoje em dia têm um panorama interpretativo que eles forçam no texto com uma agenda predeterminada do que o “que” significa, e então forçam o “quando” a se conformar completo com buracos sem sentido. Penso que alguns podem dizer o mesmo acerca dos preteristas, e é meu trabalho mostrar que este não é o caso.

O futurista geralmente se gaba em tomar as coisas literalmente, e ainda, quando confrontado com os textos temporais claros, esta literalidade é abandonada e a doutrina da “iminência” é tecida fora do tecido. Estas mesmas pessoas falam que a Segunda Vinda de Jesus está “próxima” e “às portas”, e esperam que entendamos estas palavras como elas normalmente significam. Ainda assim, estas mesmas pessoas quando encontram as mesmas palavras na Sagrada Escritura fazem uma reviravolta. Elas dizem que Deus quis dizer “ela podia estar perto” ou “ela pode estar às portas”. Mas Deus não disse isso. Ele disse “às mãos – próximo – alguns daqui não provarão a morte – esta geração não passará (no caso fomos realmente grossos, o que normalmente somos) – perto – em pouco tempo – rapidamente”. Deus praticamente esgotou os vocábulos gregos de sinônimos  para afirmar que algo estava para ocorrer no primeiro século, e ainda assim a maior parte da Igreja nega e coloca palavras na boca de Deus. Palavras fortes? Sim, mas isto corta no coração do teste de um verdadeiro profeta. Se um profeta dá expressa limitação temporal para o cumprimento de sua profecia, é burlar o teste de Deuteronômio 18 ignorar tais limitações.

Para agora fornecer uma introdução e exemplos do que eu quero dizer, me volto para a passagem que foi o divisor de águas para minha jornada ao preterismo.

Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas se cumpram. {Mateus 24:34 Almeida Recebida}

Pare agora e sem quaisquer preconcepções teológicas deixe a importância desta frase emergir. Certamente o caso inicial prima facie é meu. Certamente Jesus parece dizer que o povo de quem Ele está falando não morreria até que tais coisas que Ele disse acontecessem. Isto é certamente confirmado por numerosas traduções/leituras/paráfrases. Por exemplo, entre as diversas leituras intencionadas no texto plano veja essas:

[GNB] Remember that all these things will happen  before the people now living have all died.
{Lembrem-se que todas essas coisas ocorrerão antes que as pessoas que agora vivem tenham todas morrido}
[NCV] I tell you the truth, all these things will happen while the people of this time are still living.
{Vos falo a verdade, todas estas coisas ocorrerão enquanto as pessoas deste tempo ainda estiveram vivas}

Mesmo a Ampliada dá suporte:

Truly I tell you, this generation – that, the whole multitude of people living at the same time, in a definite, given period – will not pass away till all these things take place.
{Verdadeiramente vos digo, esta geração – esta, toda a multidão de pessoas vivendo neste mesmo tempo, em um dado período definido – não passará até que todas essas coisas aconteçam.}

Futuristas têm inventado quatro principais maneiras de sair deste pepino.

  • “Geração” significando raça
  • “Esta” refere-se a alguma geração futura.
  • “Geração” se refere a pessoas ímpias de todos os tempos.
  • Jesus quis dizer aquela geração vivente mas a profecia foi adiada.

(claro, liberais “resolvem” simplesmente afirmando que Jesus falhou)

Interagirei com elas assim que surgirem neste debate. E verdade seja dita, se este fosse o único verso forte, eu não seria preterista, mas não é o caso. Eis aqui mais alguns exemplos…

Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel até que venha o Filho do homem. {Mateus 10:23 Almeida Recebida}
Em verdade vos digo: Alguns dos que aqui estão, de modo nenhum provarão a morte, até que vejam o Filho do homem vindo no seu reino.  {Mateus 16:28 Almeida Recebida}
E o Deus de paz em breve esmagará a Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. {Romanos 16:20 Almeida Recebida}
Ora, tudo isto lhes acontecia como exemplo, e foi escrito para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos. {1Coríntios 10:11 Almeida Recebida}
Sede vós também pacientes; fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. {Tiago 5:8 Almeida Recebida}
Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que o anticristo virá, mesmo agora existem muitos anticristos; por onde conhecemos que é a última hora. {1João 2:18 Almeida Recebida}
Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus. {Revelação 22:20 Almeida Recebida}

Agora se Deus de fato desejou comunicar que este evento estava verdadeiramente próximo, verdadeiramente às portas, verdadeiramente às mãos, verdadeiramente ocorreria em pouco tempo, e verdadeiramente ocorreria antes de todos eles morrerem, [b]que outras palavras Ele poderia usar para expressar se “perto, logo, às mãos, rapidamente, em pouco tempo, há alguns aqui que não experimentarão a morte, esta geração não passará”, não bastam? Como DeMar habilmente colocou, “Se a Bíblia pode ser interpretada de tal forma que ‘cedo’ signifique ‘tarde’, ‘próximo’ signifique ‘distante’, e ‘em pouco tempo’ signifique ‘adiado’, e vice-versa, então a Bíblia pode significar tudo e nada”.

Então a Plataforma Primeira são as claras sentenças temporais.

UMA COISA LEVA À OUTRA

Esta segunda plataforma é bastante relacionado ao primeiro. Porém, aonde o primeiro lida com referências explícitas ao tempo que certas coisas ocorreriam, este ponto lida com cronologia, ou “em que ordem ou sequência as coisas ocorrerão?”. Apenas o sistema preterista faz sentido coerente em todas as passagens cronológicas de maneira consistente. Um destes exemplos é o “fim da era” mencionado em Mateus 24.

Quando Cristo ascendeu ao Pai Ele assentou-Se à Sua destra e está no processo de ter todos os inimigos debaixo de Seus pés. Muitas passagens nos falam disso, mas a mais importante para este ponto particular é Efésios 1:15-22 desde que ela contém importantes indicadores cronológicos…

[15] Por isso também eu, tendo ouvido falar da fé que entre vós há no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos,
[16] não cesso de dar graças por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações,
[17] para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele;
[18] sendo iluminados os olhos do vosso coração, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos,
[19] e qual a suprema grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder,
[20] que operou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar-se à sua direita nos céus,
[21] muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, {não só neste século, mas também no vindouro};
[22] e sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e para ser cabeça sobre todas as coisas o deu à igreja,
[23] que é o seu corpo, o complemento daquele que cumpre tudo em todas as coisas. {Efésios 1:15-23 Almeida Recebida}

Esta passagem é muito importante. Ela nos diz que durante o século que Paulo estava escrevendo, Cristo estava tendo todas as coisas postas debaixo de Seus pés. Hebreus 1:13 iguala esta ideia com o sentar à destra do Pai. Paulo também afirma que esta posição especial será ocupada por Cristo na era em que ele escrevia, mas também na que está por vir.

Agora vamos observar 1Coríntios 15:20-28:

[20] Mas na realidade Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem.
[21] Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.
[22] Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.
[23] Cada um, porém, na sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda.
[24] Então virá o fim quando ele entregar o reino a Deus o Pai, quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder.
[25] Pois é necessário que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de seus pés.
[26] Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte.
[27] Pois se lê: Todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz: Todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
[28] E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos. {1Coríntios 15:20-28 Almeida Recebida}

UM: Cristo foi primeiro levantado, ressurreto. Este é um evento passado.

DOIS: Aqueles que são de Cristo serão levantados quando Ele vier, este é um evento futuro até para nós (o leitor atento notará que preteristas não consideram esta mesma “vinda” como em Mateus 24).

TRÊS: Ele virá ao final de Seu reinado, fazendo seu reino uma realidade presente para nós, e o fim um evento futuro para nós.

QUATRO: Seu reino não acabará até Ele destruir toda autoridade e poder, novamente tornando Seu reino uma realidade presente progressiva para nós.

CINCO: O último inimigo a ser destruído é a morte, não há MAIS NENHUM inimigo após a morte, e nem mais governo e autoridade após a morte ser destruída desde que a morte é O ÚLTIMO INIMIGO que Cristo tem que lidar. Pare e deixe isto marinar e afundar.

SEIS: Após Ele destruir o último inimigo o Reino Messiânico é findo, entregue a Deus Pai e Deus será tudo em todos.

Então, essa passagem nos afirma que todos os inimigos serão final e completamente postos debaixo dos pés de Cristo na ressurreição com a destruição do último inimigo, a morte, e neste ponto, o reino messiânico especial findará. Mesmo assim, Paulo nos fala que este reino especial dura durante a era em que ele estava escrevendo e durante o fim da era vindoura. Agora, a não ser que estejamos na era vindoura, significando que a era em que Paulo escreveu havia terminado, então existe uma era inteira para vir antes que Cristo possa retornar para ressuscitar os salvos e danados. NINGUÉM CRÊ NISSO.

Ef 1:20-22 nos informa que há duas eras em vista quando Paulo estava escrevendo esta passagem. A era em que ele escrevia e a era vindoura. Paulo sabia que havia mais de uma era para vir desde que em Ef 2:7 ele menciona as eras por vir. Agora se a era final para nos é o estado eterno, e é, ela tem que ser a última das eras a vir, e portanto não pode ser “a era vindoura” de Ef 1:20 desde que há mais uma era após aquela. Lembre também que Cristo está sobre todo governo e autoridade e poder e domínio na era em que Paulo estava escrevendo e na era vindoura. No tempo da ressurreição, em 1Co 15:24 (e versos adjacentes) Ele terá DESTRUÍDO todo governo e autoridade e poder e domínio. Então obviamente, a ressurreição tomará lugar ao fim da era vindoura descrita em Ef 1:20, o que então a colocaria na última das ERAS vindouras mencionadas em Efésios 2:7. Isto se encaixa perfeitamente com Revelação 20 também. Estamos no milênio, a era vindoura da perspectiva de Paulo, estamos espiritualmente reinando e governando e coparticipando da Primeira Ressurreição (a Ressurreição de Jesus Cristo). Quando o milênio findar (esta época está acabando, que é a época vindoura na perspectiva de Paulo), Cristo terá posto todo domínio e autoridade e poder debaixo de Seus pés (descrito como Gogue e Magogue de Revelação 20), Ele ressuscitará os justos e os danados (a segunda ressurreição), e AÍ ENTÃO o estado eterno começa. A cronologia é justa e inescapável. Não há maneira de contornar que não envolva incríveis distorções sucessivas e usos liberais da Palavra.

Como nota de rodapé, há uma certa confusão no que se tem com a fluidez do uso bíblico de “era” e “mundo”. Há vezes, como acima, em que só se pode referir a uma progressão literal de tempo de uma era para outra. Em tal esquema, e ninguém neste debate discorda de mim, existem três eras. A era em que Cristo falava, o Milênio (i.e. a era vindoura de que Cristo falava), e o estado eterno. Este não é um ponto de discórdia entre nós aqui, é apenas que a cronologia que apresentei oblitera completamente e torna impossível qualquer ideia que “o fim de uma era” ainda não veio. Porém, para tornar isto completo (Solly), existem outras vezes quando a Escritura parece tão claramente ensinar apenas duas eras. Como este problema é resolvido? Reconhecendo que os termos bíblicos não são rígidos e podem ser usados de diferentes formas em diferentes contextos. No contexto desta discussão, “era” e “mundo” têm sombras de significado e podem ser usados rígida ou flexivelmente. Quando uma clara cronologia ou sequência temporal está obviamente em vista, estou bastante confortável em afirmar que devemos interpretá-la rigidamente como cronológica. Porém, há momentos quando de fato eles são empregados para comparar as eras da Antiga e da Nova Aliança… Portanto, rigidamente dias eras consecutivas no fluxo da história, e há outras vezes quando é empregada mais livremente como na ideia de “mundo” ou “estado de espírito” ou simplesmente “este tempo presente” (sem implicar um fim) que é usado para comparar o estado terreno com o estado eterno futuro. Ele engloba “mundo” num sentido não necessariamente geográfico mas antropológico, lidando com preocupações mortais e assuntos dos homens. Isto não faz violência ao alcance semântico da palavra (Thayer gasta páginas sobre isso) e esclarece um monte de confusão, e novamente, preenche o sistema preterista com a resolução sistematicamente coerente tanto de tempo quanto de cronologia.

Existem outras passagens cronológicas que podem ser trazidas para o jogo que o espaço não nos permite colocar aqui. Porém, eu peço ao leitor que dê uma olhada cuidadosa em Dn 2:44…

Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu suscitará um reino que não será jamais destruído; nem passará a soberania deste reino a outro povo; mas esmiuçará e consumirá todos esses reinos, e subsistirá para sempre. {Daniel 2:44 Almeida Recebida}

E especialmente à luz de tudo que foi apresentado, preste cuidadosa atenção em ambos, a cronologia do reino messiânico predito (ele segue após Roma), e o tempo do reinado messiânico predito (não apenas segue Roma, é estabelecido enquanto Roma ainda existe). Este é um poderoso verso preditivo para a vinda do Messias e Seu Reino, mesmo assim o futurismo eviscera com sua insistência que todo o mundo do primeiro século tinha que ser recriado (i.e. refazer Jerusalém, reconstruir o Templo, reconstruir a nação de Israel, reconstruir o Império Romano) a fim de cumprir profecias que foram claramente cumpridas no mundo original do primeiro século.

Continuando para dar uma pancada com a terceira plataforma…

VOU TE QUEBRAR EM MIL

Agora, ninguém lendo esta declaração como uma ameaça de que realmente irei te desfazer em mil pedaços literais. Por quê? Porque isto é um coloquialismo óbvio… Para NÓS. Pode não ser tão óbvio para alguém de outra cultura, dado que já ouvi muitas histórias engraçadas sobre como inocentes expressões podem ser mal interpretadas quando transliteradas para outra cultura (por exemplo eu mesmo descobri qual significado particular coloquialismo estadunidense para “butt” significa na Austrália, e posso te confirmar, o significado realmente muda). Agora o que isto tem a ver com o preterismo? Bastante coisa… Por exemplo quando lemos uma afirmação como essa:

Logo depois da tribulação daqueles dias, o sol escurecerá e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. {Mateus 24:29 Almeida Recebida}

… nós de hoje em dia temos imagens do próprio tecido do universo inteiro se desenrolando. Mas é isso o que de fato está sendo comunicado aqui? Não, se usarmos uma regra básica de interpretação bíblica, usar a Bíblia para interpretar a si mesma sempre que possível. Achamos o mesmo tipo de descrição da “alegoria da descriação” em outros locais da Escritura? Sim, de fato achamos, este tipo de linguagem é idêntico ao usado para descrever as coisas que aconteceram às antigas Israel, Egito, Babilônia e Edom:

[9] Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente; para pôr a terra em assolação e para destruir do meio dela os seus pecadores.
[10] Pois as estrelas do céu e as suas constelações não deixarão brilhar a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não fará resplandecer a sua luz. {Isaías 13:9-10 Almeida Recebida}

O contexto deixa claro que esta é uma descrição de um julgamento passado na Babilônia. A linguagem é quase idêntica às palavras de Jesus no Sermão, e até mesmo a NAS mantém que as palavras de Jesus indicadas como sendo uma citação direta desta passagem, um julgamento passado no qual o universo criado não se dissolveu na realidade.

[7] E, apagando-te eu, cobrirei o céu, e enegrecerei as suas estrelas; ao sol encobrirei com uma nuvem, e a lua não dará a sua luz.
[8] Todas as brilhantes luzes do céu, eu as enegrecerei sobre ti, e trarei trevas sobre a tua terra, diz o Senhor Deus. {Ezequiel 32:7-8 Almeida Recebida}

Novamente, este foi um julgamento passado no Egito. Tudo isso ocorreu LITERALMENTE então?

[4] E todo o exército dos céus se dissolverá, e o céu se enrolará como um livro; e todo o seu exército desvanecerá, como desvanece a folha da vide e da figueira.
[5] Pois a minha espada se embriagou no céu; eis que sobre Edom descerá, e sobre o povo do meu anátema, para exercer juízo. {Isaías 34:4-5 Almeida Recebida}

E este é um julgamento passado de Edom. Perdi a dissolução do universo passado, então?

[23] Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia; também os céus, e não tinham a sua luz.
[24] Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam.
[25] Observei e eis que não havia homem algum, e todas as aves do céu tinham fugido.
[26] Vi também que a terra fértil era um deserto, e todas as suas cidades estavam derrubadas diante do Senhor, diante do furor da sua ira.
{Jeremias 4:23-26 Almeida Recebida}

Este é um julgamento histórico de Israel.

Esta alegoria cósmica não é limitado apenas às ideias de julgamento e maldição, a mesma alegoria reversa é usada quando uma nação é abençoada:

[19] Não te servirá mais o sol para luz do dia, nem com o seu resplendor a lua te alumiará; mas o Senhor será a tua luz perpétua, e o teu Deus a tua glória.
[20] Nunca mais se porá o teu sol, nem a tua lua minguará; porque o Senhor será a tua luz perpétua, e acabados serão os dias do teu luto. {Isaías 60:19-20}

Agora o sol aqui é literal? Como pode o sol literal não mais dar sua luz e mesmo assim nunca mais se pôr? Ele é alguma bola gigante anêmica no céu? Para quem pensa dessa forma, olhe esta passagem…

E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor atar a contusão do seu povo, e curar a chaga da sua ferida. {Isaías 30:26 Almeida Recebida}

Estes estão falando dos mesmos ou de semelhantes eventos de bênção, e das bênçãos escatológicas. Bem nesta aqui, não apenas o “sol” ainda dá sua luz, ela será sete vezes maior! Agora ninguém em seu juízo perfeito pensa que um brilho sete vezes mais forte do sol seria literalmente algo bom. A terra seria definitivamente destruída.

As palavras de Jesus não são diferentes. Ele está descrevendo um julgamento cataclísmico a ocorrer sobre a nação de Israel. Mas alguém pode dizer “OK, espertinho, até posso comprar sua ideia sobre a linguagem da descriação mas e quanto a esse verso aqui??”

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. {Mateus 24:30 Almeida Recebida}

Pois bem, de novo, a Bíblia nos informa alguma coisa sobre “vinda” e “nuvens”? Sim, certamente. O AT está repleto de linguagem de YHWH vindo em julgamento e sendo envolvido em nuvens, e nenhuma vez isto significou que Ele literalmente pisou os pés na terra ou montou numa nuvem. Por exemplo:

Profecia acerca do Egito. Eis que o Senhor vem cavalgando numa nuvem ligeira, e entra no Egito; e os ídolos do Egito estremecerão diante dele, e o coração dos egípcios se derreterá dentro de si. {Isaías 19:1 Almeida Recebida}

Se interpretarmos esta passagem da maneira que o futurismo faz no Discurso, seremos forçados a crer que YHWH de fato montou numa nuvem, entrou no Egito, saltou, e então começou a chutar os ídolos. Por que os literalistas não fazem assim? Por que não são consistentes?

Mesmo em Revelação, Jesus alertou vir e visitar em julgamento sobre as igrejas históricas reais do primeiro século se elas não se arrependessem, mas certamente Ele não estava ameaçando uma visitação corpórea o o fim do mundo (Rv 2:16,3:3).

Para algumas outras passagens conectando nuvens e julgamento, veja 2 Samuel 22:12; Jeremias 4:13; Ezequiel 30:3; Naum 1:3; Sofonias 1:14-15.

Então o terceiro ponto do Caso Positivo para o Preterismo é o uso apropriado dos simbolismos e hipérboles apocalípticos.

Como RC Sproul afirmara,

A vantagem do preterismo e que ele “salva os fenômenos” das referências temporais o Testamento; ele interpreta a profecia bíblica ordo com as imagens usadas na própria Escritura; e ele oferece um quadro de trabalho para uma consistente interpretação da difícil literatura apocalíptica da Bíblia, como aquelas encontradas em Daniel e Revelação.

FootNotes:

* A palavra “ortodoxo” foi eliminada como redundante. Historicamente falando o preterismo sempre foi ortodoxo, mas um relativamente recente bando de hereges têm tentado fugir com um bom título de história. O então chamado “preterismo completo” não é nada além de um himeneanismo reempacotado (2Tm 2:17), e como tal é tanto credal quanto biblicamente heterodoxo. Preteristas como eu mesmo não negam nada essencial à fé cristã histórica. Cremos na futura ressurreição corpórea, o futuro retorno corpóreo de Jesus Cristo, a futura redenção final do Planeta Terra, e o futuro Julgamento Final.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s