Traduções Crédulas: O “Novo Coração” de Ezequiel 36:26-27 É uma Referência à Regeneração Precedendo a Fé?

Padrão

Uma das marcas do calvinismo contemporâneo é a ideia de que a regeneração é necessária para que uma pessoa venha à fé em Jesus Cristo. Um dentre tantos textos-prova desta doutrina espúria é o capítulo 36 de Ezequiel. O problema aqui é duplo: a condição de regeneração para fé não é explicitamente mencionada, e além disso este é um texto acerca do derramamento do Espírito e mais geralmente da Nova Aliança.

Boa Noite e Boa Leitura!

O “Novo Coração” de Ezequiel 36:26-27 É uma Referência à Regeneração Precedendo a Fé?

por kangaroodort from ArminianPerspectives
Tradução: Credulo from this WordPress Blog

Calvinistas geralmente citarão Ezequiel 36:26-27 como texto-prova de regeneração precedendo fé. A doutrina calvinista insiste que a alguém deve ser dado novo coração antes de tal pessoa crer no Evangelho. Por tal razão, Ezequiel 36:26-27 é geralmente invocado para serviço de demonstrar este princípio. Eis a passagem com o verso 25 incluso:

Então aspergirei água pura sobre vós, e sereis purificados; eu vos purificarei de todas vossas imundícies, e de todos os vossos ídolos. E vos darei um novo coração, e porei um novo espírito dentro de vós; e tirarei de vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei meu Espírito dentro de vós, e farei com que andeis em meus estatutos, guardeis meus juízos, e os pratiqueis. {Ezequiel 36:25-27 BLIVRE}

Esta passagem dá ao calvinista o que ele precisa para defender sua doutrina? Ela de fato demonstra que a regeneração precede a fé e que Deus deve dar ao pecador um novo coração antes que ele possa crer para vida?

Como muitos textos-prova calvinistas, esta passagem não lhes dá tudo que eles precisam para estabelecer a sua doutrina. Para que esta passagem servisse, deveria ensinar que Deus dá um novo coração e preenche uma pessoa com o Espírito incondicionalmente. Uma promessa estabelecida sem explícita menção de uma condição não necessita a conclusão de que tal promessa seja incondicional.

Enquanto podemos encontrar promessas na Escritura que são incondicionais e promessas na Escritura que são feitas sem referência imediata a uma condição, procurar-se-á em vão por uma singela passagem relacionada à conversão que afirma que alguém se torna salvo incondicionalmente. Tal passagem não existe, e é um grande problema para a doutrina calvinista de eleição incondicional. Mas a Bíblia em outros lugares descreve fé como a condição ordenada por Deus para receber salvação, e esta condição deve ser então assumida mesmo em lugares onde condição nenhuma é afirmada. De fato, o contexto de tais passagens geralmente implica a condição de fé mesmo quando ela não é explicitamente afirmada.

Com isto em mente, vamos examinar o texto em questão. É largamente aceito que esta passagem prenuncia a nova aliança que Deus fará com Seu povo. Esta nova aliança foi cumprida no Novo Testamento mediante o sangue de Cristo. Uma pessoa participa desta nova aliança mediante fé no sangue de Cristo (Rm 3:25). O texto de Ezequiel 36:25-27 descreve aqueles que participarão da nova aliança. Primeiro, a passagem nos ensina que Deus purificará aqueles que participam da nova aliança:

Então aspergirei água pura sobre vós, e sereis purificados; eu vos purificarei de todas vossas imundícies, e de todos os vossos ídolos.

Na nova aliança, isto se referiria à purificação no sangue de Cristo. Este sangue nos limpa de toda injustiça e somos perdoados de nossos pecados passados nesta base (Hb 10:18-22, esp. verso 22 comparado com Ez 36:25,33; 1Pe 1:2,22,23; 2Pe 1:2-9; 1Jo 1:7-9; Rm 3:25). A Bíblia é clara em que perdão é um elemento primário da justificação. Ninguém pode ser justificado à vista de Deus e declarado reto antes da remoção do pecado. Ninguém pode ser justificado enquanto ainda está debaixo da ira de Deus pelos pecados passados. Justificação é impossível de separar da purificação do perdão, bem como a passagem diz, “sereis purificados; eu vos purificarei de todas vossas imundícies” (conf. Ez 36:33). Já vemos aqui um problema com a interpretação calvinista desta passagem. A passagem não pode ensinar uma purificação para fé desde que o Novo Testamento é resoluto em que se é perdoado e justificado “mediante fé”. Deus perdoa e justifica (torna reto) em resposta à fé e arrependimento:

E Pedro lhes disse: Arrependei-vos, e batize-se cada um de vós no nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e vós recebereis o dom do Espírito Santo. {Atos 2:38 BLIVRE}

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que vosso pecados sejam apagados, quando vierem os tempos do refrigério da presença do Senhor. {Atos 3:19 BLIVRE}

Sendo justificados gratuitamente por sua graça, pelo resgate que está em Cristo Jesus; Ao qual Deus propôs por sacrifício de reconciliação pela fé em seu sangue, para demonstração de sua justiça, deixando de considerar os pecados antes cometidos, sob a paciência de Deus; Para demonstração de sua justiça neste presente tempo, para que ele seja justo, e também justificador daquele que tem fé em Jesus. Então onde está o orgulho? Este é excluído. Por qual Lei? Das obras? Não; mas pela Lei da fé. Concluímos, portanto, que o ser humano é justificado pela fé, sem as obras da Lei. {Romanos 3:24-28 BLIVRE}

Porém aquele que não trabalha, mas crê naquele que justifica ao perverso, sua fé lhe é considerada como justiça. {Romanos 4:5 BLIVRE}

Sendo então justificados pela fé, temos paz para com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; Logo muito mais agora, sendo já justificados em seu sangue, seremos por ele salvos da ira.{Romanos 5:1,9 BLIVRE}

Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes vosso fruto em santificação, e por fim a vida eterna. {Romanos 6:22 BLIVRE}

Passagens como esta podem ser facilmente reproduzidas. Precisa-se apenas ler Gálatas para ver que justificação vem mediante fé. De fato, Gálatas e Romanos são muito concernentes sobre como alguém participa da nova aliança. Justificação, regeneração, santificação e adoção são todas benefícios da nova aliança. Todas estas bênçãos espirituais se tornam nossas quando nos tornamos unidos a Cristo mediante a fé (Ef 1:3-13 em especial o verso 13 que diz que somos selados em Cristo após crer no Evangelho). Os benefícios da nova aliança são representados como a promessa dada a Abraão e seus descendentes, e esta promessa é recebida mediante a fé (Rm 4, Gl 3). Com a promessa vem a adoção como filho de Deus e o recebimento do Santo Espírito, todos eles recebidos pela fé:

De maneira que a Lei foi nosso tutor para nos levar a Cristo, para que pela fé fossemos feitos justos. Mas depois da fé chegar, já não estamos debaixo do tutor; Porque todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus; Pois todos vós que fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea. Porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E se vós sois de Cristo, então sois semente de Abraão, e herdeiros conforme a promessa. {NOTA: semente = i.e., descendentes} {Gálatas 3:24-29 BLIVRE}

Só isto eu queria aprender de vós; recebestes vós o Espírito pelas obras da Lei, ou pela pregação da fé? {Gálatas 3:2 BLIVRE}

Entendei, portanto, que os que são da fé, são filhos de Abraão. {Gálatas 3:7 BLIVRE}

Para que a bênção de Abraão viesse aos gentios em Cristo Jesus, e para que nós, pela fé, recebêssemos a promessa do Espírito. {Gálatas 3:14 BLIVRE}

E dado que sois filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho em vossos corações, o qual clama: “Aba, Pai!” {Gálatas 4:6 BLIVRE}(conf. Rm 8:14-17)

Para que pela fé Cristo habite em vossos corações; e vós estejais com raízes plantadas e firmados no amor. {Efésios 3:17 BLIVRE}(conf. 2Co 13:5, Rm 8:9)

Para abrir os olhos deles, e das trevas converterem à luz, e do poder de Satanás converterem a Deus; para que recebam perdão dos pecados, e herança entre os santificados pela fé em mim.{Atos 26:18 BLIVRE}(conf. 2Co 13:5, Rm 8:9)

Não há dúvida quando comparamos a promessa das bênçãos da Nova Aliança descritas em Ezequiel 36 com o cumprimento destas benesses no Novo Testamento, que todas estas bênçãos da nova aliança são recebidos pela fé. A purificação descrita no verso 25 é pela fé e o recebimento do Santo Espírito descrito no verso 27 é mediante a fé. Mesmo a promessa do novo e circuncidado coração é mediante a fé (At 15:8,9; Cl 2:11-13; Hb 10:18-22). Mas o “novo coração” descrito em Ez 36:26 tem primária referência a um coração que é dedicado a Deus e capacitado a obedecer Sua lei mediante o Santo Espírito infundido:

e tirarei de vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei meu Espírito dentro de vós, e farei com que andeis em meus estatutos, guardeis meus juízos, e os pratiqueis.

É apenas mediante a participação na nova aliança e recebimento do prometido Santo Espírito que o crente está habilitado e capacitado a agradar Deus, cumprir Sua lei de amor, e mortificar as obras da carne (Hb 8:7-12, 10:10-18). Paulo poderosamente descreve este aspecto da promessa da nova aliança em Romanos 8. Mediante o poder do Santo Espírito infuso (recebido pela fé) o crente pode agora mortificar as malignidades da carne e viver de acordo com o Espírito:

Porque a Lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da Lei do pecado e da morte. Pois o que era impossível para a Lei, por estar enferma pela carne, Deus, enviando seu Filho em semelhança da carne pecadora, e por causa do pecado, condenou ao pecado na carne; Para que a justa obrigação da Lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque os que são segundo a carne têm seus pensamentos nas coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito têm seus pensamentos nas coisas do Espírito. Pois os pensamentos da carne são morte; mas os pensamentos do Espírito são vida e paz. Pois os pensamentos da carne são inimizade contra Deus, pois não se sujeitam à Lei de Deus, porque também não podem. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Porém vós não estais na carne, mas sim no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo, este tal não é dele. E se Cristo está em vós, o corpo está realmente morto por causa do pecado; mas o Espírito é vida por causa da justiça. E se o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dos mortos habita em vós, aquele que ressuscitou a Cristo dos mortos também ressuscitará a vossos corpos mortais por seu Espírito, que habita em vós. Portanto, irmãos, somos devedores, não da carne, para viver segundo a carne; Porque se viverdes segundo a carne, morrereis; mas se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos quantos são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. {Romanos 8:2-14}(ênfase minha)

Mediante a obra do Espírito em nós, nossos desejos são afastados da carne e em direção a Deus. O Espírito regenera e reorienta nosso ser tal que somos agora devotados a agradar Deus em vez de nossas paixões carnais. O Espírito de Deus nos dá o desejo e poder que precisamos para vencer a carne e viver para Deus (Gl 5:17-26, 6:7-9). Este é o cumprimento da promessa dada em Ezequiel 36:26-27, e o cumprimento desta promessa depende do poder do Santo Espírito infundido que é recebido mediante a fé (Gl 3:14).

Conclusão: podemos portanto concluir que Ezequiel 36:26-27 falha como texto-prova da doutrina calvinista de regeneração precedendo a fé. Ezequiel 36 prenuncia o tempo de uma nova aliança efetuada pelo sangue de Cristo mediante a qual crentes são purificados do pecado e feitos novos em Cristo (2Co 5:17; conf. Ef 2:8-10). Ela nos fala que aqueles que participarão da nova aliança (mediante fé em Cristo) receberão o prometido Santo Espírito, mediante o qual o crente da nova aliança será capacitado a viver e servir a Deus sobrepujando as paixões e desejos da carne.

Quando comparamos a promessa de Ezequiel 36:26-27 ao cumprimento de tal promessa no Novo Testamento, encontramos que todas as promessas e benefícios descritos em Ezequiel 36 são condicionados à fé. Portanto, é impossível interpretar esta passagem de tal maneira a ensinar que se recebe um novo coração capacitado pelo Santo Espírito infuso antes de se pôr fé em Cristo. Em vez disso, a passagem está em perfeita harmonia com o ensino presente no Novo Testamento (e no arminianismo) que as promessas e benefícios da nova aliança (o que inclui um novo coração e o recebimento do Espírito de Deus) são recebidas mediante a fé.

Anúncios

8 comentários sobre “Traduções Crédulas: O “Novo Coração” de Ezequiel 36:26-27 É uma Referência à Regeneração Precedendo a Fé?

  1. Pingback: Traduções Crédulas: O que Mortos em Pecados Podem Fazer? « credulo

  2. Só para entender: Todas as pessoas podem ter fé, mas cabe ao homem escolher (por efeito da graça preveniente) ter fé ou não, estou certo?

    É possível alguém ser salvo pela fé, sem ser regenerada?

    Obrigado, e me perdoe se minha pergunta foi ignorante, estou começando a estudar a teologia arminiana.

    • Só para entender: Todas as pessoas podem ter fé, mas cabe ao homem escolher (por efeito da graça preveniente) ter fé ou não, estou certo?

      De certo modo… Só mudaria um pouco o fraseado.
      Por efeito da graça preveniente, o homem é capacitado a escolher entre Jesus e o mundo. Sem esta graça, o homem viveria completamente à parte de Deus, sem sequer saber que Ele existe.

      Mas, na teologia arminiana, tal graça não é ‘eficaz em si mesma’ – ou seja, a graça, sozinha, não faz o homem escolher sim ‘irresistivelmente’. A fé, neste caso, é um dom, um presente imerecido, dado àqueles que não resistem. Eu costumo usar esta frase: “O homem é salvo pela graça de Deus; O homem é condenado apesar da graça de Deus”.

      Dê uma lida nos textos da tag Graça Preveniente, em especial estes aqui:
      A Natureza da Fé Salvífica
      A Graça Preveniente É Bíblica?
      Graça Preveniente e Livre Arbítrio Libertário

      É possível alguém ser salvo pela fé, sem ser regenerada?

      A resposta mais curta é: Não existe outro meio. A fé vem antes da regeneração. A nova vida é dada a todo aquele que crê, e não o contrário.

      Isto é um assunto da Ordo Salutis – “ordem da salvação”. Este link lida com a ordem da salvação no panorama arminiano.

      Siga também os links deste post – eles lidam com alguns textos-prova dos calvinistas sobre “regeneração preveniente”.

      Obrigado, e me perdoe se minha pergunta foi ignorante, estou começando a estudar a teologia arminiana.

      Sem problema! O arminianismo de verdade não é lá muito conhecido, menos ainda no Brasil aonde ele é mais atacado e mal-representado.
      Costuma estar mais escondido que pérola negra 🙂

      Bem, se de fato estás a fim em estudar, comece dando uma lidinha neste texto então. Ele explica rapidamente algumas pressuposições arminianas:
      Jogando Xadrez Teológico com um Calvinista

      Acompanhe também o site arminianismo.com.

  3. Um calvinista disse isto acerca desse artigo:

    “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido.
    1 João 5:1

    Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),
    Efésios 2:5

    Nessas passagens está claro que a regeneração precede a fé. O arminiano está forçando vários versiculos que de maneira nenhuma contradizem isso. Além de ignorar que a fé também é dom de Deus.”

    O que responder?

  4. Complementando o meu último comentário, ele disse:

    “O arminiano coloca que, segundo o entendimento dele, a regeneração(v 26) é resultado da nova aliança mediante a fé(v 25), só que ele faz isso porque ignora que a fé é dom de Deus e isso tá claro em vários versículos, como João diz no começo de seu livro, isso vem da vontade de Deus, não tem outro entendimento mais bíblico de que esse: nos é dado um novo coração para que possamos crer, a regeneração precede a fé, porque os dois vem de Deus.”

  5. Por partes:

    1 – O texto de João não diz que o nascimento provocou a fé. Ele só nos
    dá um critério para saber quem é ou näo nascido de Deus: saber se Ele
    crê e proclama o Seu Nome. Este verso é para os crentes e não os
    descrentes.

    2 – O texto de Efésios não diz se foi ENTRE a morte e a vida, ou se foi
    DEPOIS da vida, que a fé se manifestou.

    Em suma, os textos não dizem nada sobbre a ordo calvinista.

    3 – Você não notou o excesso de falácias?

    Primeiro, eu não nego e muito menos ignoro que a fé é dom de Deus. A
    pergunta é: a fé é dada PARA QUE se tenha vida, ou é dada DEPOIS de se
    ter vida? E MAIS: a fé é dada para quem?

    Eu tenho respostas bíblicas para tudo isso, já seu amigo tem falácias de
    mentes cauterizadas.

    Segundo, que bobagem é essa?? A “… regeneração precede a fé, porque os
    dois vem de Deus”? E em que isto estabelece a ordem?

    Se eu te entrego a chave da minha casa e a chave da garagem desta casa,
    a ordem em que eu entrego as mesmas define se eu sou ou não o dono
    delas? Se eu der a chave da garagem depois da da casa, eu s]ou um
    impostor? Essa é a lógica?

    Aliás, leia:
    https://credulo.wordpress.com/2012/05/14/traducoes-credulas-a-ordo-salutis-arminiana-e-calvinista-um-breve-estudo-comparativo/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s