Traduções Crédulas: A Incompatibilidade da Expiação Limitada com as Prefigurações de Cristo no Antigo Testamento

Padrão

Um texto bem divertido que achei em minhas garimpagens na Internet, mostrando a clara incompatibilidade entre a expiação limitada e o testemunho dos tipos e alegorias da Escritura.

Boa Leitura!

A Incompatibilidade da Expiação Limitada com as Prefigurações de Cristo no Antigo Testamento

por Matthew from CounteringCalvinism
Tradução: Credulo from this WordPress Blog

O propósito deste texto é analisar quatro prefigurações de Cristo do Antigo Testamento, e mostrar que elas não dão suporte à ideia calvinista de expiação limitada.

A Arca de Noé

Geralmente é apontado que a Arca é um tipo de Cristo no AT, i.e., a Arca é uma figura da salvação.

O próprio Cristo disse: Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, será salvo; e entrará, e sairá, e achará pasto. {João 10:9 BLIVRE}

Desta assertiva de Cristo, um paralelo pode ser traçado com a Arca fornecendo a porta de salvação para Noé e sua família. Alguns podem exclamar aqui e afirmar que devido apenas Noé e sua família terem sido salvos, a Arca ilustra melhor a Expiação Limitada. Mas isto é supersimplificado. A questão da expiação limitada VS ilimitada é acerca de por quem Cristo morreu, não de quem finalmente será salvo. A questão é: por quem Deus fez provisão – os eleitos ou o mundo? Precisamos apenas levar em conta o tamanho da Arca para ver que Deus forneceu um caminho de salvação para mais que apenas Noé e sua família. Jonathan Sarfati escreve,

A arca media 300x50x30 cúbitos (Gn 6:15) o que dá por volta de 450x75x45 pés ou 140x23x13,5 metros, e então seu volume era de 43.500 metros cúbicos ou 1,52 milhões de pés cúbicos. Para dar uma perspectiva, isto é volume equivalente a 522 automóveis padrão, cada um podendo carregar 240 ovelhas. Muitos vertebrados na realidade eram bem pequenos (roedores, lagartos, pássaros), e o tamanho médio deveria ser o de um rato. Se os animais fossem mantidos em jaulas com tamanho médio de um metro cúbico, 16.000 animais ocupariam apenas 16.000 metros cúbicos, pouco mais que um compartimento inteiro. Mesmo se um milhão de espécies de inseto estivessem a bordo, não seria problema, porque eles requerem pouco espaço. Se cada par fosse mantido em jaulas cúbicas de quatro polegadas (10cm) de lado, ou mil centímetros cúbicos, todas as espécies de inseto ocupariam um volume total de mais mil metros cúbicos, uma fração minúscula de um compartimento. Isto deixaria um espaço massivo para comida, a família de Noé e espaço para os animais. [Jonathan Sarfati, Refuting Compromise, Master Books, June 2004, p. 275]

Existe uma coisa que Sarfati esqueceu de mencionar em sua lista do que teria massivo espaço: humanos. Quando o tamanho da Arca é levado em consideração, encontraremos algo em volta de um terço da Arca ocupado pelos animais. Então fica a questão: por que a Arca era tão grande? Bem, na sua segunda missiva, Pedro chama Noé de “pregador de justiça” (2Pe 2:5) e no capítulo três Pedro se refere ao dilúvio dos dias de Noé, a destruição dos infiéis. Ele então alerta os crentes:

E os céus e a terra que são agora, pela mesma palavra estão reservados, e são guardados para o fogo até o dia do juízo, e da perdição dos homens perversos. {2Pedro 3:7 BLIVRE}

Não é preciso muita imaginação para crer que Noé, sendo pregador de virtude, também alertou os impios da destruição iminente da terra. Então por que a Arca era tão grande? Creio que ela era uma provisão: uma provisão para aqueles que se arrependessem de sua malignidade, e entrassem pela porta da Arca, a porta da salvação. O fato de somente Noé e sua família terem se salvado é somente um testemunho da malignidade da humanidade, e é irrelevante ao assunto da para quem a salvação fora fornecida.

Cristo, que a Si Mesmo Se descreve como porta da salvação (Jo 10:9), também foi uma provisão; uma provisão para toda a humanidade (Jo 3:15-17,12:32; 1 Tim. 2:4,4:10; 2Pe 3:9; 1 Jo 2:2; Rv 22:17, etc.).

Cristo é provisão para toda a humanidade, tal que se alguém entrar por mim, será salvo;{João 10:9 BLIVRE}

O Cordeiro Pascal

O sangue do cordeiro da Páscoa (Ex 12:6,21) foi fornecido para toda Israel (Ex 12:3), sem nenhuma indicação de ela ser somente para um “grupo eleito” dentre Israel. O sangue se tornou eficaz apenas após ser aplicado às ombreiras das portas (Ex 12:7,22); o sangue sozinho não salva ninguém.

E então é assim com Jesus o Cristo, o nosso Cordeiro Pascal (1Co 5:7). Seu sangue foi fornecido para o mundo todo (Jo 3:16, 1Jo 2:2 etc.). Seu sangue em si não salva ninguém automaticamente – ele deve ser aplicado. O sangue de Cristo se torna eficaz apenas após Cristo ser recebido mediante a fé (Jo 3:16; At 16:31; Rm 3:21-26,10:9-13; Gl 2:16,3:26; Ef 2:8; Fp 3:9; 1 Tim. 4:10; 2Tm 3:15, etc.).

A Serpente no Deserto

A chave para interpretar “mundo” em Jo 3:16 está dois versos antes, quando Jesus Se compara à serpente do deserto:

E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve o Filho do homem ser levantado{Jo 3:14}

Dado que o povo de Israel se tornou impaciente e reclamou contra Deus e Moisés (Nm 21:4-5), Deus enviou serpentes abrasadoras entre o povo, e as serpentes morderam o povo, tal que muitos morreram (Nm 21:6). Quando o povo reconheceu seu pecado, eles pediram a Moisés para orar a Deus por eles (Nm 21:7). Deus respondeu a oração de Moisés:

Então disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente de bronze, e põe-na sobre uma haste; e será que todo mordido que olhar para ela viverá. Fez, pois, Moisés uma serpente de bronze, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, tendo uma serpente mordido a alguém, quando esse olhava para a serpente de bronze, vivia.
{Números 21:8-9 BLIVRE}

A serpente de bronze foi uma provisão para todos e para cada um. A serpente se tornava eficaz apenas após alguém olhar para ela pela fé. A serpente em si mesma não salvou ninguém. E assim é com Cristo – Ele sendo levantado por si só não salva ninguém. Apenas após se olhar para Ele em fé que se recebe cura.

As Cidades de Refúgio

As cidades de refúgio foram uma provisão para o homicida [Nm 35:9-15]. Ademais, foi uma provisão para qualquer homicida – o povo de Israel, o estrangeiro, e o forasteiro (Nm 35:15). Mas a cidade de refúgio só era eficaz enquanto o homicida permanecesse em seus limites (Nm 35:26-28).

E assim é com a salvação no Novo Testamento. Cristo, em quem temos refúgio (Hb 6:18), foi providenciado para todos os homens (Jo 3:15-17,12:32; 1Tm 2:4,4:10; 1Jo 2:2, etc.).

Ademais, não é suficiente se refugiar na cidade (Cristo) para evitar o vingador (Satanás) – deve-se permanecer nela. Devemos continuar firmes em Cristo se desejarmos evitar ser cortados e lançados ao fogo (Jo 15:1-6); devemos semear para o Espírito e não desistir se quisermos colher a vida eterna (Gl 6:7-9); devemos perseverar em fé, firmes e estáveis, se desejarmos ser apresentados santos e irrepreensíveis diante de Deus (Cl 1:21-23); devemos treinar na piedade se desejarmos ter segurança (1Tm 4:7-10); e devemos manter nossa confiança firmes até o fim se desejarmos ter uma participação em Cristo (Hb 3-4).

Anúncios

5 comentários sobre “Traduções Crédulas: A Incompatibilidade da Expiação Limitada com as Prefigurações de Cristo no Antigo Testamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s