Traduções Crédulas: Dicas de Debate para Calvinistas

Padrão

Por que não mais uma gotinha de humor voluntário? Nessa, Ben Henshaw lista umas dicas erísticas de como os calvinistas devem fazer para se dar bem em debates contra arminianos – ou ‘não-calvinistas’, como quiserem.

Boa Leitura!

Dicas de Debate para Calvinistas

por kangaroodort from ArminianPerspectives
Tradução: Credulo from this WordPress Blog

Achei este blog enquanto visitava o Calvinist Gadfly. Basicamente ele faz graça com a maneira que alguns arminianos debatem com calvinistas. É seguido de 45 comentários, a maioria deles consistindo de calvinistas gargalhando entre si. Eu pessoalmente não tenho conhecido nenhum arminiano que usam as técnicas que Gordan ridiculariza, mas estou certo que existem alguns por aí que o façam. Penso que seria divertido ter minha própria lista de dicas de debate para calvinistas baseada em minha própria experiência em debates on-line.Não pretendo desrespeitar com estas dicas que seguem. Creio que calvinistas, tão ligeiros em criticar como arminianos argumentam seu caso, deveriam ficar alertas de algumas de suas próprias ineptas e infrutíferas táticas de debate também. Tudo isto é em boa diversão, e espero que possa até mesmo ajudar a clarear o significante diálogo entre os dois campos teológicos neste crescente debate. Desde que a maioria dos calvinistas que eu tenho debatido parece ter um rico senso de humor, estou certo que eles não se ofenderão pelo que se segue. Se você se sentir assim, sinta-se livre para me falar acerca disto nos comentários. Eu espero pela interação.

DICAS DE DEBATE PARA CALVINISTAS

Seus cornos estão enroscados por um arminiano que te encurralou numa sinuca teológica? Apenas memorize as seguintes dicas, e você será capaz de se livrar de qualquer atoleiro de debates…

  1. Se o arminiano começa a fazer um caso forte, citar Rm 9:20 irá na maioria das vezes colocá-lo no lugar… “Quem é você, homem, para retrucar a mim – digo, a Deus??!”
  2. Lembre-se sempre que Deus sabia que o calvinismo “pareceria” incoerente, e portanto ordenou desde a eternidade que você deveria fazer uso frequente de Dt 29:29 sempre que achar que não há como sair de um dilema lógico.
  3. Quando for apontado que o compatibilismo não difere em nada do determinismo e ainda assim leva à conclusão de que Deus é autor do pecado, diga somente “Pare de adorar no altar do livre-arbítrio!” e lembre-os de terem tendências romanistas. Espera-se que eles se sintam tão envergonhados de si mesmos que esqueçam tudo sobre o ponto que estavam formando.
  4. É útil fazer uso frequente de termos teológicos obscuros como “exegese” e “hermenêutica”. A maioria dos arminianos sequer saberá do que estás falando e vão notar que estão por fora de sua milhagem em debater com você.
    1. Nota: Cuidado extremo deve ser usado quando mencionar “hermenêutica” já que sua pronúncia é um pouco intrincada, e um arminiano inteligente pode apontar que você faria melhor em não usar palavras grandes que sequer sabe pronunciar. Isto seria embaraçoso e te causaria perder o alto patamar intelectual que você trabalhou tanto para estabelecer. O truque é lembrar que “e” vem antes de “u”. O corretor ortográfico provavelmente não reconhecerá tão sofisticada palavra, então esteja certo de praticar.
  5. Se o arminiano começar a fazer alguns bons pontos, refute-o por ele se portar como um jarro retrucando ao Oleiro. Se isto não adiantar, tente #1 acima. Se isto não funcionar, fale a ele que você não tem tempo a perder com alguém tao ignorante e cegado por tradições.
  6. Lembre estes senis arminianos que o problema com sua teologia é que ela não deixa espaço para contradições – ehr, digo, mistérios!
  7. Se o arminiano começar com toda aquele lixo emocionalista de “Deus é amor”, apenas lembre-o de que o verdadeiro assunto é a soberania de Deus e o justo ódio dos pecadores, e “Quem é você, homem, para retrucar a mim – digo, a Deus, que seja??!”
  8. Continuamente lembre o arminiano que quando ele diz que é salvo pela fé ele na verdade ele quer dizer que é salvo pelas obras (já que fé é obviamente apenas uma “obra” no arminianismo). Ele eventualmente ficará frustrado e irá parar de argumentar com você.
  9. Jamais deixe o arminiano definir suas crenças. Fale que ele está confuso, e se ele realmente quer conhecer no que ele acredita ele deve ler uma crítica do arminianismo por um autor reformado; afinal, esta é a única maneira pela qual alguém pode propriamente entender a teologia arminiana.
  10. Fale a ele que você não dá a mínima sobre a história da Igreja pré-Agostinho. Os pais gregos estavam obviamente desinformados, confusos, e ignorantes se eles não eram calvinistas. Graças a Deus um gnóstico que se converteu ao catolicismo escreveu o suficiente para limpara a bagunça que estes pais gregos nos deixaram.
  11. Fale a eles “John Gill disse, eu creio, e isto é bom o bastante para mim”.
  12. Sobrecarregue seu oponente com longas listas de escritores reformados quando você sentir que o debate está perdendo o rumo. Por exemplo,
    1. “Hummm… vamos ver, eu deveria acreditar em você ou em Spurgeon, Edwards, Owen, Gill, Perkins, Toplady, Beza, Whitefield, Frame, Hodge, Pink, Van Til, Bahnsen, Murray, Piper, MacArthur, Berkhof, Sproul, Carson, Palmer, Packer, etc.? É… Acho que vou ficar com estes reformados realmente espertos” – ou
    2. “Não, posso não estar certo disso, mas Spurgeon, Edwards, Owen, Gill, Perkins, Toplady, Beza, Whitefield, Frame, Hodge, Pink, Van Til, Bahnsen, Murray, Piper, MacArthur, Berkhof, Sproul, Carson, Palmer, Packer, etc. não podem possivelmente estar errados. Eles certamente são mais espertos que você” – ou
    3. “O problema com você é que está muito cegado pelas suas tradições. Se você quer entender a pura palavra de Deus e se libertar de tradições de homens, então te sugiro ler Spurgeon, Edwards, Owen, Gill, Perkins, Toplady, Beza, Whitefield, Frame, Hodge, Pink, Van Til, Bahnsen, Murray, Piper, MacArthur, Berkhof, Sproul, Carson, Palmer, Packer, etc.” – ou
    4. “A razão pela qual tais passagens de alerta te preocupam tanto é porque você ainda não foi suficientemente lobotomizado pela Teologia Reformada. Tente ler Spurgeon, Edwards, Owen, Gill, Perkins, Toplady, Beza, Whitefield, Frame, Hodge, Pink, Van Til, Bahnsen, Murray, Piper, MacArthur, Berkhof, Sproul, Carson, Palmer, Packer, etc. Se o fizer, prometo que irá se sentir melhor.”
  13. Fale a eles que você não tem tempo para fazer uma exposição dos versos difíceis que eles estão mencionando, e somente fale a eles para ler alguns comentários reformados se eles “realmente estão interessados em como um teólogo reformado deve lidar com esta passagem”; então exija respostas para as questões que você colocou acerca dos textos-prova que você ofereceu para dar respaldo à sua posição.
  14. Deixe claro que o debatedor arminiano entende que se ele não pode responder suas questões então ou dar sentido aos seus textos-prova, isto prova que o arminianismo é falso e o arminiano está plenamente cego pelas tradições do homem. Se eles apelarem ao mistério, gentilmente lembre-os que apenas calvinistas estão autorizados a fazer isto (veja o ponto #2 acima).
  15. Quando as coisa ficarem tensas, apenas se refira ao “inescrutável conselho divino”.
  16. Quando lidando com as “passagens de alerta” fale a eles que elas devem ser levadas a sério, porque são o meio de Deus de amedrontar Seus eleitos em perseverança, mas claro que não precisamos nos preocupar sobre elas desde que você sabe que está eternamente seguro.
  17. Se você se encontrar perdendo o debate, apenas chame-os de pelagianos ou semi-pelagianos, ou fale a eles que são católicos enrustidos, etc. Se eles insistirem em contrário, deixe-os falando até que fiquem tão frustrados que vão se esquecer do que estavam defendendo e terminar a correspondência.
  18. Seja sempre paciente com aqueles pobres arminianos cegos. Tente pensar em quão estúpido você era antes de se tornar um calvinista e isto pode te ajudar a ter um pouco de pena deles.
  19. Tenha certeza de que eles entenderam o conceito próprio de “exegese” e “eisegese”. “Exegese” é qualquer interpretação genial que um calvinista pode trazer para salvar sua teologia de uma passagem problemática. “Eisegese” é é basicamente qualquer interpretação que um arminiano atribui a qualquer passagem que pareça contradizer a Teologia Reformada, ou o Calvinismo(?).
  20. Lembre o pobre arminiano iludido que o arminianismo foi condenado como heresia em Dort por um monte de calvinistas que julgaram as doutrinas arminianas por um monte de credos e confissões calvinistas. Ele é provavelmente tão ignorante que sequer sabe disso.

Creio que estas 20 dicas devem ajudar suficientemente o debatedor calvinista a lidar com qualquer argumento senil que o arminiano possa trazer. Se você acha que ainda está tendo problemas deixe apenas um comentário e eu darei mais dicas.

Boa sorte e Deus te abençoe.

Anúncios

2 comentários sobre “Traduções Crédulas: Dicas de Debate para Calvinistas

  1. hehehe…muito bom……calvinistas seguem direitinho a cartilha.

    Mais um ponto:
    21- Se o arminiano discordar de forma contundente de seus argumentos, diga-lhe que ele não pode compreender a verdade por que foi endurecido, ou ainda é homem natural. Se ele continuar discordando, fuja do debate dizendo que não jogará mais pérolas aos porcos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s