Traduções Crédulas: A Metralhadora Hermenêutica

Padrão

Mais um pouco sobre aquelas táticas já arraigadas entre debatedores. É uma espécie de complemento do texto O Problema com Textos-Prova.

A Metralhadora Hermenêutica

por Martin Glynn on Society of Evangelical Arminians

Tradução: Credulo from this WordPress Blog

Muitos calvinistas acusam o arminianismo de ser mais devotado à filosofia humana do que à verdade bíblica. Não apenas creio que isto é falso, mas minha experiência geralmente mostra que aqueles que fazem tais acusações são os maiores culpados delas. Muitos desses calvinistas maltratam a Escritura, escolhendo ignorar a natureza do livro em favor de reivindicar o poder que ela dá às suas próprias proclamações.

Desde que eu tenho debatido na internet, tem havido um uso particular da Bíblia que eu tenho visto eles usarem várias e várias vezes. Eu passei a chamá-la a metralhadora hermenêutica. Hermenêutica é o estudo de como interpretar a Escritura, e uma hermenêutica é um método particular de interpretação.

Eu posto isto como um alerta a todos os que podem ver tal técnica sendo usada. Não sejam enganados. Ela não demonstra que um argumento é bíblico, mas de fato faz o exato oposto disso.

Argumento pela Verbosidade

Um argumento pela verbosidade, ou argumentum verbosium, é quando alguém fornece um total imenso de provas bem como uma linha complexa de raciocínio, de modo a dominar o público. O ouvinte é incapaz de examinar toda a prova mencionada, e então aceita o argumento sem realmente desafiá-lo. Porém, isto não significa que as provas eram fortes (ou mesmo relevantes) ou que a linha de raciocínio era lógica: significa apenas que era muita coisa para o ouvinte tomar e avaliar.

Por exemplo, se eu quiser te convencer que voar é demasiado perigoso, eu posso citar-te o número de aviões que quebraram nos últimos 5 anos, o total de pessoas que morreram, e então quebrar a análise por companhia aérea, citando ao fim 25 estatísticas distintas. Acredite em mim, eu pareceria convincente. Mas isto não mudaria a realidade de que voar é a maneira mais segura de viajar porque o número de quebras não é tão relevante quanto a porcentagem, de quedas. Porém, eu te citaria estatísticas o bastante tal que você ficaria incapaz de realmente examinar a validade ou aplicabilidade delas. Isto é um argumento de verbosidade.

A Hermenêutica Metralhadora

A hermenêutica metralhadora é essencialmente um argumento de verbosidade usando citações da Escritura. Eu poderia destrinchar o capítulo de Hebreus 10 inteiro, e demonstrar como o contexto completo, bem como a intenção do livro inteiro, demonstrar que é possível que um crente possa cair da fé. Então o calvinista responde citando 5 versos da Escritura, sem discutir o seu contexto, e daí alega vitória. Já vi isso muitas vezes. Porém, esses cinco versos não tem nada a ver com o contexto à mão, ou ensinam algo incrivelmente diferente do que o calvinista diz. Não importa na verdade, porque agora eu tenho que vasculhar através do contexto de cinco versos diferentes, explicar como nenhum deles casa com o que o calvinista diz, e meu tema original se perde. O calvinista ainda acaba ganhando.

Comecei a referir a esta tática como hermenêutica metralhadora, baseado numa conversa que eu tive uma vez. Meu oponente simplesmente citou seis ou sete versos distintos de uma vez, e então insistiu que eu rebatesse cada um deles. Eu recusei, porque eu sabia que isto não seria efetivo de todo modo, desde que ele ignoraria qualquer exegese que eu oferecesse simplesmente citando mais textos (ele havia feito isso antes). Ele alegou que eu não respeitava a Escritura. Eu respondi, falando que eu creio que a Escritura é uma espada, e não uma metralhadora, e é desrespeitoso à Escritura tratá-la de maneira diferente do que ela foi projetada.

Veja, uma espada requer um incrível montante de habilidade. Se você não inclinar a espada exatamente reta, ela não irá fatiar, apenas entalhar. Às vezes até mesmo os maiores mestres na espada não cortam toda vez que entra em contato com uma espada. Nem se está considerando todas as técnicas necessárias de esquiva e estocada.

Uma metralhadora, por outro lado, só toma tanta habilidade quanto é necessária para manter o usuário seguro. A técnica é simplesmente atirar uma rajada de balas e ter a esperança de que uma delas acerte.

A hermenêutica metralhadora trabalha parecido. Simplesmente se cita tantos versos da Bíblia quanto possível e espera que o volume de tiros seja suficiente para acertar. Porém, isto acaba desencorajando de se ler mesmo as Escrituras. O contexto dos versos jamais é considerado. Os versos são apenas memorizados para que eles possam ser citados quando necessário.

Agora, citar a Escritura não é algo ruim. Não é que eu precise discutir o contexto de cada verso que eu cite. Mas é o contexto do verso que define se minha citação é válida, e é impossível determinar quando eu tenho seis versos para analisar de uma vez. Ao fim, a Escritura em si é ignorada e mas sua presença causa a afirmação parecer oficial.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s